Arquivo de etiquetas: Isaiah Thomas

Entrega e Capacidade de Luta… mas Spurs

Como diz o titulo “Entrega e Capacidade de Luta… mas Spurs”. É o resumo do nosso terceiro jogo frente aos San Antonio Spurs no TD Garden.

Bater estes Spurs já a partida seria uma tarefa na teoria árdua e complicada, mas em campo é quase impossível.

Continue a ler Entrega e Capacidade de Luta… mas Spurs

Anúncios

As dúvidas no backcourt

Hoje coloco aqui no blog um texto/artigo que um user do Fórum NBA Portugal que sabe do que fala no que diz respeito a NBA!

Este texto foi escrito pelo user RFVZ do Fórum e faz aqui uma excelente análise do que é o futuro incerto neste momento para o roster dos Celtics e mais concretamente o Backcourt. Continue a ler As dúvidas no backcourt

Balanço da Performance na Summer League 2015

Terminada a Summer League de Las Vegas, é hora de fazer um balanço do que podemos para já retirar daquilo que foi a performance e mais valias apresentadas em campo pelos novos jovens recém chegados do draft e pela consolidação de nomes como Marcus Smart.

Começando a falar daquilo que realmente interessa, os desempenhos individuais, começo por destacar Marcus Smart. Do camisola 36 dos Celtics o que fica na memoria acaba por ser a lesão feia que contraiu na mão, oBoston-Celtics-star-Marcus-Sma que levou muita gente a falar e questionar se um jogador da qualidade de Marcus Smart e que já teve na temporada passada um bom ritmo na NBA deveria entrar neste tipo de competição e poder aqui hipotecar a temporada com lesões que seriam de evitar.

Apesar dessa conversa em torno dá lesão, Smart mostrou uma mentalidade agressiva no ataque ao cesto e uma notória melhoria em situação de pick-and-roll. Contudo, os problemas já conhecidos no jogador ao nível ofensivo ainda necessita de trabalho, o seu  potencial a longo prazo continua a ser brilhante, mas os números ofensivos são uma lembrança dolorosa Smart tem contornar para se tornar num all-around guard de excelência.

LAS VEGAS, NV - JULY 18: R.J. Hunter #28 of the Boston Celtics drives to the basket against the San Antonio Spurs during the game on July 18, 2015 at Thomas And Mack Center, Las Vegas, Nevada.  NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this Photograph, user is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. Mandatory Copyright Notice: Copyright 2015 NBAE (Photo by Jack Arent/NBAE via Getty Images)Passando a bola para RJ Hunter, confirmou o seu estatuto de matador da linha de 3 pontos. Ainda é cedo para adiantar que temos aqui um futuro Ray Allen mas é essa a minha crença.

Boston precisa desesperadamente de shooters para preencher os espaços criados pelas penetrações de Isaiah Thomas e companhia no backcourt no esquema ofensivo “pace-and-space” de Brad Stevens e RJ Hunter pode ser aqui uma opção viável para dar profundidade na rotação a Jae Crowder.

Jordan Mickey, pode entrar como opção naquela que tem sido um grande problema para os Celtics, o famoso Big.Jordan-Mickey-Boston-Celtics Mickey mostrou ser um potencial Big Man Atlético que pode no futuro ser uma peça importante para a equipa e prova disso é que Danny Ainge já tratou da sua assinatura de contrato para quatro temporadas. Jordan Mickey exibiu ao longo das duas últimas semanas de summer league um excelente desempenho como shot blocking e uma boa versatilidade defensiva. Mais importante a destacar nas prestações de Jordan Mickey, é que defendeu bem no pick-and-roll, mostrando a velocidade e inteligência em alternar para jogadores menores, uma habilidade crucial na NBA nos dias de hoje para qualquer Big.

Terry Rozier! Se na altura do draft me questionei o porque da escolha, agora que terminada a Summer League as duvidas permanecem. Terry-Rozier-Boston-CelticsCom o roster recheado com peças como Isaiah Thomas, Avery Bradley e Marcus Smart, Rozier continua a estar fora do contexto e em excesso. Espero que o Ainge tenha uma cartada já em mente e que caso algum dos três que referi anteriormente possa vir a ser incluído num negocio por um jogador de qualidade acima da media ou uma possível estrela parece-me curta a margem para Terry Rozier, apesar da saída de Pressey que até jogou a seu favor. Quanto ao desempenho de Rozier, mostrou as credencias que trazia confirmadas de Louisville, grande intensidade defensiva e uma boa capacidade atlética.

Uncle Drew Saga – Playoffs Jogo 1

Acabou o nosso primeiro jogo nestes Playoffs 2015!
Como esperado, um jogo difícil para os Celtics com grande parte da nossa equipa sem experiência de playoffs.
Os Celtics entraram bastante bem no primeiro período, registando uma percentagem de lançamento de 57% que justificou a liderança por 31-27 no final do mesmo. Kelly Olynyk saltou do banco para conseguir 10 pontos nesse período e com o apoio do também inspirado Isaiah Thomas mostraram uma entrada confiante da nossa equipa no jogo.
 A partir dai os Cavs começaram a descolar, muito por culta de um senhor chamado Kyrie Irving que teve uma noite de estreia nos Playoffs que parecia já ter muitas rotinas disto com uns fantásticos 30 pontos no final do jogo.
Os espaços concedidos durante toda a partida a jogadores como JR Smith ou Kevin Love certamente também não ajudaram, e juntar a isso dois buzzer beaters no final do segundo e terceiro período fizeram abanar a moral de uma equipa na busca de encurtar o marcador da partida.
O nosso banco foi o grande responsável por conseguir manter os Celtics em jogo quando a equipa se encontrava aflita. A rotação da equipa garantiu 55 pontos, liderados pelo double-double de 22 pontos e 10 assistências de Isaiah Thomas.
Gostei da exibição de Isaiah Thomas mas o double-double de 22 pontos e 10 assistências não conseguiu complementar o conhecido défice defensivo. O grande azarado da noite na equipa foi mesmo Avery Bradley que terminou o jogo com apenas 7 pontos fruto de um pobre registo de 3 em 10 lançamentos.
Bradley tem sido um jogador bastante consistente para Boston nesta temporada, mas ter um endiabrado Irving pela frente torna qualquer tarefa mais complicada para abrandar as suas investidas e acabou por se reflectir na zona atacante.
Quem também teve uma noite difícil foi Tyler Zeller que acabou por sofrer bastante diante Timofey Mozgov dentro do Paint. Continua a estar bem visível a nossa fraqueza na protecção do cesto. Mozgov  juntamente com Tristan Thompson destruíram a nossa defesa interior e com Kyrie Irving a abusar constantemente das penetrações demonstraram as dificuldades que vamos ter nesta serie e nem vamos falar em nomes como Lebron ou Kevin Love.

Vamos agora aguardar pela resposta que o Brad Stevens irá preparar para a partida de terça-feira e continuar a acreditar na irreverência e no sangue jovem da nossa equipa e esperar a ansiada primeira vitoria na serie.

Os Celtas mais ferrenhos (como eu) não levem a peito este post ser mais negativo para as nossas cores, mas de facto temos uma equipa inexperiente nestas andanças e todos estes pontos negativos será o que de bom vamos retirar desta serie dura. Aprender com os erros é sempre uma boa pratica e para os nossos jovens jogadores estas coças em campo será uma aprendizagem de playoffs e de jogo ao mais alto nível que os tornará mais fortes nos anos que ai vem.

GO CELTICS!

A Época de Stevens

Depois da derrota dos Nets ontem frente aos Bulls, garantimos a nossa presença nos playoffs.
Stevens é o obreiro desta excelente temporada, que no inicio de poucos ou ninguém nos colocariam nestas andanças e ele merece o total crédito pelo desempenho dos Celtics até aqui.
Brad Stevens enfrentou uma autentica tempestade de mudanças no roster, com um entra e sai de jogadores e mesmo assim conseguiu manter a qualidade exibicional da equipa. As movimentações durante a temporada levaram-nos grandes nomes como Rondo ou Jeff Green mas permitiu-nos mostrar o talento que já tínhamos dentro de portas elevando o nível das performances de nomes como Smart, Bradley, Sullinger, Olynyk ou Zeller e permitiu ainda a entrada de nomes que viriam a dar muito que falar, como os casos de Crowder e Thomas.
Quando inicialmente tudo em Boston apontava para uma época low-performance de forma a garantir um bom posicionamento na lotaria do draft, Brad Stevens foi capaz de arrastar esta equipa para uma vaga nos playoffs. Enfrentou as contrariedades de não ter um  rim protector, garantiu minutos regulares a Jonas Jerebko e Kelly Olynyk tornou-se uma peça chave ao qual se junta um Jae Crowder enorme em campo e que fora de campo que encarnou na perfeição o espírito e mística da nossa equipa.
Na segunda temporada na NBA, Stevens consegue colocar os celtics para 52ª vez na história da franquia nos playoffs e justifica a aposta calculada de Danny Ainge de que temos de facto aqui um treinador de enorme potencial e com um futuro promissor nos Celtics. Não é por acaso que é um dos nomes falados para coach of the year apesar de partir atrás de nomes mais em voga como Mike Budenholzer ou Steve Kerr, mas mostrou com esta conquista ter argumentos mais que suficientes para “limpar” o prémio.
Estou claramente ciente das dificuldades que vamos enfrentar nos Playoffs, mas estando lá estamos na luta e há que acreditar e tenho a crença de que poderemos causar alguns susto nesta primeira ronda. Como é óbvio eu preferia apanhar os Hawks nesta primeira ronda, que como já disse num episódio recente doTriplo Duplo tenho a fé de que enfrentando Atlanta podemos surpreender e chegar até as semi finais.
Vamos todos torcer pela nossa equipa que fez de facto uma temporada brilhante e esperar que Brad Stevens depois desta excelente conquista consiga elevar ainda mais esta jovem e talentosa equipa, mas por tudo o que foi feito até aqui todos os fans dos Celtics estão certamente bastante orgulhosos!
Go Celtics!!